O sedentarismo e os seus efeitos negativos

O sedentarismo e os seus efeitos negativos

No ranking das ameaças à saúde dos habitantes estado-unidenses nos encontramos em primeiro lugar com o tabaco e no segundo com o sedentarismo. Embora o corpo humano seja uma máquina preparada para a prática esportiva repetida e de grande intensidade, realizar atividades deste tipo não está incluído dentro dos hábitos da população ocidental.

Efeitos secundários do sedentarismo

Não praticar desporto supõe que as pessoas apresentem padecimentos crônicos como tensão elevada ou dores musculares. Levar um ritmo de vida baseado no sedentarismo dá lugar a três efeitos sumamente negativos:

Reduz os anos de vida. Segundo um estudo publicado na revista BMJ Open, se se reduzissem as horas em que visionamos a televisão a dois e evitássemos permanecer sentados três horas menos ao dia conseguiríamos viver três anos e meio mais. Em relação a isto, o British Journal of Sports Medique mostrou entre os seus artigos que um consumo de televisão de seis horas diárias reduzia a esperança de vida em cinco anos.

sedentarismo y obesidad

Incrementa o desejo de comer. Na Escola de Medicina de Harvard, um grupo de científicos descobriu que o sedentarismo provoca que o organismo deixe de gerar Irisina, hormônio encarregado de que a denominada gordura “má”, culpado da obesidade, se transforme em gordura “boa”.

Prejudica à fertilidade. Segundo um estudo publicado na revista European Journal of Applied Physiology da Universidade de Córdoba, os varões cuja atividade física se vê reduzida sofrem uma piora da qualidade do seu sêmen, vendo-se reduzida a quantidade de ejaculado, com menor número de espermatozóides e mais lentos.

No Pikolin sabemos da importância de levar um ritmo de vida saudável e da necessidade de praticar desporto, mas após realizar uma atividade intensa nada melhor que relaxar-se num de nossos colchões.

Classifique este artigo: