Como deve ser uns bons colchões?

É fundamental dormir e descansar bem para que o sonho possa cumprir a sua função regeradora.

Há três condições que uma equipa de descanso deve cumprir para garantir a saúde do dormente: firmeza, suave acolhida e boa higiene. Do primeiro fator depende a posição correta das costas, concretamente da coluna vertebral.

Uns bons colchões não deve ser nem duro nem fraco, senão o suficientemente assine e adaptável, começando desde o mesmo bloco ou núcleo. Como complemento de uma firmeza adaptável, os colchões e amortecedores devem proporcionar uma acolhida agradável, de maneira que o contato do dormente com os colchões assegure a ausência de pressões excessivas, que poderiam causar incomodidade e excesso de rotação noturna, impedindo um descanso eficaz. Por último, todos os materiais que intervêm na fabricação dos colchões devem garantir uma transpiração correta. A ventilação interna da equipa facilita o manutenção de umas condições corretas ao longo do tempo.

siesta

Para fazer a melhor compra. Os profissionais do descanso recomendam não adquirir os primeiros colchões que se encontre, uma vez que é preciso ter em conta que dele depende o descanso e, em consequência, a saúde dos próximos anos. Por isso, antes de comparecer a um estabelecimento especializado, se aconselha identificar os colchões que se tem para poder guiar melhor ao especialista e usar-lo como referência para buscar uma melhoria. É importante, portanto, dirigir-se a um ponto de venda que ofereça garantias e deixar-se assessorar pelos profissionais. A estes é preciso indicar-lhes quais são as necessidades à hora de dormir, quantas pessoas descansarão na mesma superfície, se há diferença de peso e estatura entre ambos, se é para uma primeira moradia ou uma segunda, se a pessoa que vai a dormir é muito calorosa, alérgica, se é bagatela, etc.

Se recomenda provar os colchões na postura na que se acostuma dormir e, se é em casal, deveria provar-se ao mesmo tempo. Além disso, é preciso averiguar a garantia que oferecem, evitar comprar produtos com condições confusas. Pikolin recomenda que o comprido dos colchões seja, pelo menos, 15 ou 20 centímetros mais do que mede a pessoa. Quanto ao largo, a recomendação para colchões individuais é de 90 e 150 centímetros para colchões nos que vão a dormir duas pessoas.

A respeito do peso, para uma pessoa de até 90 quilos aproximadamente, qualquer tecnologia de colchão pode ser boa e aceitável. A partir desse peso, a recomendação dos profissionais é utilizar uns colchões que tenha um bom suporte para as costas e um bom colchão como o que tem qualquer dos produtos da gama NormActive® de Pikolin.

Cais, visco e Bultex

  • Cais: É o tipo de colchão mais estendido. O seu desenho evolucionou muito. À firmeza que contribuem se lhes incorporaram Technogel, viscoelástica ou outros materiais nos colchões. Um exemplo é NormActive® de Pikolin, o cais de fio contínuo tecnologicamente avançado.
  • Espumaciones.: Entre as diferentes espumaciones técnicas, se encontram os colchões de HR (High Resilience), compostos por um núcleo de poliéter de alta densidade que se acostuma combinar com materiais de elevada adaptabilidade. A viscoelástica é um material celular que reage à temperatura, ou seja, que quando está frio é assine e quando se aquece com o corpo se converte em adaptável. Por último, o látex é um tipo de espumación sintética ou natural que se usa para os colchões dos colchões.
  • Últimas tecnologias: Bultex é a maior inovação no campo dos colchões de poliéter. Com uma avançada matéria, formada por milhões de células com forma de ninho de abelha que agem como microsuportes. São milhões de alvéolos abertos, que oferecem uma resistência proporcional ao peso de cada um.