Se tens sonho, não conduzas

Se tens sonho, não conduzas

«A sonolência se relaciona com os acidentes de trânsito até num 30% dos casos e são aqueles que apresentam uma maior mortalidade», aponta Joaquín Terán, diretor da Unidade Multidisciplinar de Sonho Hospital Universitário de Burgos.

Muitos destes acidentes se produzem durante a jornada de trabalho, de facto podem chegar a alcançar o 10% das sinistralidade laborais viário, segundo apreciações do estudo desenvolvido pela Associação de especialistas em Prevenção e Saúde Laboral, com o patrocínio do Instituto Mapfre de Segurança viária.

Ao perguntar-lhe ao doutor Terán, que também é vice-presidente da Sociedade Espanhola de Sonho, por estes dados, este se mostra contundente: «As jornadas de trabalho a empreitada ou a turnos poucos organizados, que sobre tudo aparecem num contexto de crise económica como o atual, não respeitam que haja um descanso suficiente – e acrescenta – por desgraça, não existe uma legislação laboral que aborde o tema dos transtornos do sonho no meio laboral».

O doutor refere que, recentemente, se conheceu o resultado de investigações sobre o trabalho a turnos prolongados dos médicos e o aparecimento de erros médicos ou inclusive de acidentes de trânsito e, em ambas situações, estas jornadas multiplicam até por quatro o risco de erros na condução de veículos ou sinistralidade ‘in itinere’.

É preciso planear paradas no roteiro da viagem para descansar cada duas horas.

Por outra parte, e tendo em conta os próximos deslocamentos de férias, é importante saber que se pode fazer para evitar a fadiga e a sonolência
diurna na condução. Terán afirma que «desde o ponto de vista preventivo, é necessário lembrar que antes de iniciar uma viagem é necessário dormir um número de horas apropriadas e planear paradas no roteiro para descansar aproximadamente cada duas horas».

O doutor especifica que os pacientes que apresentam insônias graves devem consultar com o seu médico da Unidade de Sonho se são aptos para a condução de veículos.

No caso de pessoas que sofrem a apnéia de sonho, «o fundamental é cumprir o tratamento noturno ou durante as horas de sonho com o respirador CPAP», indica Terán. Ao mesmo tempo, se recomenda cumprir de forma estrita com as horas de sonho e evitar o álcool.

sueño conducción

Microsonhos

São períodos muito curtos de sonho, causados por um cansaço extremo e que são os responsáveis da maior parte dessa percentagem do 30% dos acidentes de trânsito. Em casos de fadiga, é preciso evitar o álcool que multiplica os riscos de acidente.

Tecnologia

Atualmente, existem dois tipos de sistemas de deteção da fadiga do motorista, diferenciados segundo o tipo de dados que utilizam para estabelecer que a condução se está realizando sem a concentração adequada ou sob sintomas de sonolência.

Dicionário do sonho

INSÔNIA. É o transtorno de sonho mais frequente na população e consiste na dificuldade de conciliar ou de manter o sonho. O 10% padece insônia de forma crônica e um 30% de forma transitória.

APNÉIA DO SONHO. Se caracteriza pela presença de pausas respiratórias de mais de 10 segundos de duração, que provocam a alteração da arquitetura do sonho e durante o dia uma sonolência excessiva em distinto grau.

CPAP (CONTINUOUS POSITIVE AIRWAY PRESSURE). É o tratamento mais habitual e recomendado para evitar as apnéias do sonho. O dispositivo exerce uma pressão de ar contínuo nas vias aéreas para evitar a obstrução respiratória.

ACIDENTE IN ITINERE. É o que lhe acontece a um trabalhador quando o acidente se produz durante o deslocamento desde o seu lugar de trabalho até o seu domicílio, e vice-versa.

 

Conselhos saudáveis

  • Ventilar o veículo. É importante manter uma boa temperatura no seu interior.
  • Chicles e rebuçados. Segundo diversos estudos, estas guloseimas acordam os sentidos e contribuem a melhorar as capacidades de atenção e perceção do motorista.
  • Falar com os acompanhantes. Não pôr música relajante e, se é possível, revezar-se na condução.
  • Viajar de dia. Ou, pelo menos, evitar deslocamentos entre as 2.00 e as 6.00 e as 13.00 e as 16.00, nas que o corpo se relaxa e o risco de acidentes se multiplica.
  • Evitar comidas copiosas. Para reduzir o risco de sonolência